A orelha é uma das partes do corpo humano que poderá trazer o estigma familiar: "O filho tem a orelha do pai"! Muitas vezes a orelha em abano é encontrada em vários membros da família e constitui uma identificação negativa, principalmente pelo fato de gerar caçoadas na infância, trazendo como consequência marcas profundas no comportamento da criança.

Assim é que existe uma idade ideal para realizar a cirurgia de correção do abano: entre os 5 a 7 anos, período em que a orelha já está totalmente formada e quase igual ao tamanho daquela do adulto. Além do mais, por se tratar de um período pré-escolar, é nessa fase que começam os problemas de ordem psicológica. Normalmente as seguintes perguntas são feitas por ocasião da primeira consulta:

 

PERGUNTAS MAIS COMUNS

A cirurgia da orelha em abano deixa cicatrizes?

A cicatriz desta cirurgia é praticamente invisível por localizar-se atrás da orelha, no sulco formado por esta e o crâneo. Além do mais, como se trata de região de pele muito fina, a própria cicatriz tende a ficar "quase imperceptível", mesmo em algumas técnicas que utilizam pequenas incisões na face anterior.

Qual o tipo de anestesia?

Crianças: anestesia geral. Adultos: anestesia local com ou sem sedação (a critério).

Qual o período de internação?

Meio período a um dia, dependendo do tipo de anestesia e idade do (a) paciente.

Quanto tempo demora o ato cirúrgico?

Geralmente em torno de 90 a 120 minutos. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória. Seu médico poderá lhe informar quanto ao tempo total.

Há perigo nesta operação?

O perigo não é maior ou menor que aquele de se viajar de automóvel, avião ou mesmo o simples atravessar de uma rua. São riscos do quotidiano, os quais estamos acostumados a enfrentar.

Há dor no pós-operatório?

Todo ato médico inclui no seu bojo um risco variável e a Cirurgia Plástica, como parte da Medicina, não é exceção. Pode-se minimizar o risco preparando-se convenientemente cada paciente, mas não eliminá-lo completamente.

Como é o curativo?

É realizada a proteção da cicatriz com curativos pequenos. Protege-se a orelha (principalmente em crianças), nos primeiros dias, com uma espécie de touca a fim de evitar traumatismos locais. Em alguns casos, recomenda-se o uso das faixas tipo "ballet" ou "tênis".

Quando são retirados os pontos? Há dor?

Em torno do 8º dia. Não existe dor na retirada.

Em quanto tempo se atingirá o resultado definitivo?

Assim que se retira o curativo já teremos em torno de 80% do resultado almejado. Após 12 semanas, o resultado será definitivo.

Não há risco de 'voltar o problema do abano' após a cirurgia?

Desde que devidamente conduzida à cirurgia, o resultado será definitivo. Convém salientar que uma leve assimetria poderá ocorrer, pois mesmo as pessoas não operadas e que tenham orelhas normais, não apresentam simetria absoluta.

RECOMENDAÇÕES

PRÉ-OPERATÓRIO

• Comunicar-se com o seu médico até a véspera da cirurgia, em caso de gripe, infecções, etc. 
• Obedecer ao horário estabelecido para internação. 
• Manter-se em jejum por um período de 8 a 12 horas antes. 
• Lavar os cabelos na véspera. 
• Se você tiver cabelos compridos, não deverão ser cortados e sim mantidos até um período após a cirurgia. Isso ajuda a disfarçar o curativo nos primeiros dias. 

PÓS-OPERATÓRIO

• Evitar sol, friagem, vento e traumatismos locais por um período de 10 dias. 
• Comparecer ao consultório para controle pós-operatório, nos dias indicados pela enfermeira. 
• Obedecer à prescrição médica. 
• Poderá retornar às atividades escolares, profissionais, etc., de 4 a 5 dias após a cirurgia. 
• Alimentação livre, a partir do segundo dia, principalmente a base de proteínas (carnes, leite, ovo) e vitaminas (frutas).